Projeto finalizado: Bolsa de crochê da década de 1940

by - dezembro 03, 2019


Mais uma reprodução histórica para este humilde guarda-roupa.

Às vezes há fases só de fracassos, mas nos últimos meses estou numa maré boa. Tenho conseguido terminar muitos projetos de reprodução histórica. Não sei se isto é devido ao fim do ano e a implantação daquela "força-tarefa", mas o fato é que a coisa tem avançado bem.

Saí um pouco da costura para terminar um projeto de crochê. a seguir vou explicar um pouco do processo, dos materiais, mas do mais importante (!): a História que me levou a este projeto.

E eu adoro fazer isso, pesquisar a história e os materiais!........ A d o r o!!! Então fico feliz quando termino.

Era uma vez a Segunda Guerra Mundial (de novo)

Bolsas de crochê sempre existiram. Eu já vi receitas da década de 1870 e 1880 (as quais sou louca pra reproduzir), e outras tantas dos anos 1910, 1920 e algumas dos 1930. Mas nos anos 1940 estas bolsas chegaram a um outro patamar.

Bom, chegamos novamente à Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Conforme o conflito foi avançando, maior era a restrição de tecidos, de metal, de couro, de tudo...ou seja, de tudo o que servia para uma bolsa mais elegante e durável.

Bem, as bolsas de couro não deixaram de ser fabricadas, mas na ocasião o foram em bem menor número, utilizando couro de outros animais (como o jacaré).

Sendo assim, era preciso utilizar materiais alternativos. Como o tricô e o crochê eram populares na época e exigiam pouco material - ou até sobras -, estas técnicas foram uma das preferidas e os designers se esforçaram para criar padrões diferenciados e elaborados.

Além do material principal, os metais das bolsas, sobretudo as alças e fechos, foram substituídos por materiais derivados do plástico - baratos e bonitos - como a baquelite e a lucite.


O modelo "Shell" mais famoso, com alça de lucite.
É nesta toada que começam a aparecer livretos e revistas apenas com receitas de bolsas de crochê. Os modelos mais frequentes eram os do tipo "shell" ou concha, com ou sem alças, e não muito pequenas pois durante a guerra era preciso carregar coisas (e não apenas batom e moedas).

Também estavam na moda as clutches, adornadas com um pingente de lucite transparente, um outro derivado do plástico muito em moda.

Clutch anos 40
Uma clutch em tamanho grande com um fecho de lucite
O material para fazê-las é meio obscuro. Não era lã e nem linha de algodão. Era um tal de Kordette. O que pude descobrir é que este era um fio 100% rayon, mas não tenho informações sobre a espessura. Pra saber, só achando uma bolsa vintage original ou o novelo do Kordette. Mais fácil achar a bolsa: tem no Ebay se você tiver dinheiros.

Algumas inclusive indicam que o material pode ser trocado por soutache. Estranho.


Minha bolsa - Processos e resultados

Eu não sabia se queria mesmo uma bolsa desta. Já tinha visto algumas no Instagram e pareciam muito grandes, sei lá....e clutch não era uma opção. 

Agora a motivação:
  • ter uma bolsa que combinasse com/torna-se mais autênticos os meus looks escuros do começo dos anos 1940 (porque depois já muda tudo). 
Não tem nada mais nada a ver que aparecer com uma bolsa da C&A no rolê (pra mim que sou xiita rsrsrs cada um, cada um).

E então encontrei esta receita do tipo "Butterfly", publicado por uma empresa dos anos 1940 chamada Jack Frost....e me apaixonei!

Bolsa anos 1940
O modelo que reproduzi. Repare nas alças e no puxador do zíper: ambos em lucite.
O design dessa peça é muito legal! Estes zigzags são feitos apenas com combinações de ponto baixo. Eu fico de cara como os desenvolvedores de tricô e crochê dos anos 1930 e 1940 eram criativos. Nada de sequências de ponto alto infinito, o negócio é inovar.

Apesar de ter pesquisado tudo sobre a tal da Kordette, optei por usar o que tinha em casa mesmo porque não queria gastar. Usei o fio Balloon 70% acrílico e 30% algodão, na cor preta, e se desse errado (como estou acostumada rsrs), não perderia muito. Eu evito fazer isso, usar um fio que não é da mesma composição do fio antigo, mas desta vez (e apenas desta), optei por ser mais flexível e, na verdade, não tinha saída.

Bom, crochetar preto é uma tortura delícia e o projeto correu rápido. Até que....

...cheguei nas alças. Nos armarinhos há alcinhas de plástico redondas, mas eu buscava algo mais historicamente correto já que já tinha chutado o balde na Kordette. E algo mais resistente e que não fosse tão simples (o crochê já é marginalizado....). Baquelite e lucite originais estavam fora de cogitação porque o dólar tá caro. Até que li em algum lugar que madeira também era um material alternativo na época. Pronto, o amor 😍

Amor nada. Não conseguia achar alças de madeira em lugar nenhum, nem Brás, nem 25 de Março nem em lojas virtuais. Rodei São Paulo atrás disso, até que 3 meses depois eu tinha o meu par ♡

O fato é que crochetar foi mais fácil que achar as alças.

(queria colocar mais fotos do processo aqui, mas textos menores, por favor).
A bichona pronta ♥. Agradeço a Santo Expedito pela graça alcançada.

Ainda tive que costurar forro e zíper, ou seja, nada de bolsas preguiçosas da década de 2020. A personalização contou até com um bolsinho para o Bilhete Único HAHAHa

Sobre escolher Balloon: ela ficou macia ao toque, mas poderia ter ganhado um pouco, um pouquinho mais de estrutura, que eu corrigi com uns arranjos internos. Eu queria saber como é o resultado com a Kordette original. Não saberemos.

Enfim, o que gosto nesta peça é que, seguindo a receita, ela não ficou nem gigante e nem pequena, e portanto cabe tudo que preciso: guarda-chuva, carteira, celular, tranqueiras e até livro, se quiser.

E ela atingiu seu objetivo quanto a parecer autêntica: mais de uma pessoa (umas 3 na verdade) pensaram que ela é vintage de verdade, e não uma reprodução. Metas alcançadas!!

Outra coisa é que ela combina com minhas roupas civis e não apenas com as "vintage divinamente inspiradas". Eu estou bem apaixonada e já usando para ir ao trabalho normal e contemporânea HAHAHA.

Ah, e ela também combina com este turbante de 1941 que nunca apareceu por aqui 😍😍

Turbante de crochê feito a partir de uma receita de 1941

Onde encontrar receitas de bolsas da década de 1940?

Esta em especial eu consegui num grupo privado. Mas no site Free Vintage Crochet (link aqui) há uma boa seleção de bolsas da mesma época e algumas até parecidas. 

As receitas são gratuitas e em inglês e é preciso ir clicando nos links para ver todas porque elas estão separadas em tipos...e então você ir escolhendo a que mais combina com você :)

Eu não conheço nenhum dessas receitas em português...nem na minha vasta coleção de revistas dos anos 1940s elas aparecem. Acredito que estes modelos não chegaram por aqui: de repente não tivemos restrição de couro e metal na Segunda Guerra, apesar de ter tido de tecidos.

Pessoal, obrigada por terem lido até aqui! Hoje foi mais curto, mais pra documentar mesmo os avanços na construção do meu guarda-roupa "vintage"/"retrô" (ah, nem vou discutir isso aqui 😅😄).




You May Also Like

4 comentários

Instagram

- Todos os direitos reservados a Katiúcia de Sousa Silva - Por favor, não copiar o conteúdo desta página sem mencionar a autoria.