Uma blusa de crochê de 1935

by - maio 15, 2019






Ou uma briga de crochê de 1935.

É, minha irmã...não foi fácil não. 

Talvez você já tenha visto as fotos desta blusa nas redes aí. Mas como sempre recebo perguntas sobre ela, vou contar em detalhes a história toda por trás dos bastidores!

O objetivo era reproduzir uma receita original de 1935, com uma técnica em que eu fosse pró (o crochê). Mas o gato quase sobe no telhado rsrs vamos aos fatos! ↓😹


A escolha

Bom, primeiro: escolher a vítima.

Na época (julho de 2018), eu só queria uma blusa rápida e fácil para fazer. Uma receitinha de boa, ponto simples, só pra aumentar o meu guarda-roupa com foco na estética dos anos 1930 e 1940, já que não acho nada vintage real dessa época mesmo (e nem vou achar).

Optei por uma blusa de linha, com uma echarpe combinando. Nos anos 1930, echarpes, golas, jabots, laços eram acessórios-chave no figurino feminino. A área do pescoço era muito valorizada. Logo, achei que esse modelo seria bem representativo do período. Também não existia o plástico/acrílico, então optei por um fio natural, o algodão.

A receita escolhida foi a Butterfly Mesh Blouse, publicada em 1935 e disponível no site Free Vintage Crochet (thank you!)

Free Vintage Crochet webpage
Esta é a safadinha. Free Vintage Crochet

O crochê teve seu período de ouro justamente nos anos 1930, e esse é o meu recorte histórico favorito. As peças mais engenhosas, coloridas e interessantes surgiram nesta época. Bem assim, transparentes mesmo, sem mimimi, mas com uma combinação por baixo 😉


A saga

Eu já vinha pesquisando espessuras e composição dos fios de época, tamanhos de agulha, marcas gringas que já faliram há uns 70 anos (essas receitas são todas estrangeiras)...e tomando nota para encontrar os equivalentes atuais e brasileiros que permitissem executar a mesma peça.

A cor sugerida na receita é branca com uma faixa azul-marinho, um combo superpopular nos anos 1930. Mas branco suja muito, né? Então fiz uma pesquisa da tabela de cores mais utilizadas na década e, por fim, optei por este tom de verde e azul-marinho, outro combo de sucesso.

Então....entendo que o fundamento da moda histórica seja o seguinte: reproduzir uma peça com a mesma técnica, mesmo padrão e na medida do possível, mesmo material (no caso, fio da mesma espessura e composição) que uma determinada peça do passado. Não é pra ser exatamente uma inspiração, é uma réplica MESMO. Então pra mim faz sentido toda essa pesquisa acadêmica para fazer uma blusínea (KKKKKKKKKKK!)

Mesmo com tudo isso, o crochê me deu uma rasteira. Porquê?

  1. ...eu tinha acostumado a trabalhar com fio grosso, o que faz com que as peças sejam muito rápidas pra terminar;
  2. ...a receita, apesar de detalhada, estava com alguns vários erros e não tinha gráfico;
  3. ...eu teria que aumentar o tamanho, visto que a mulher-padrão do passado era bem menor rsrs;
  4. ...sou meio iludida mesmo 😅

Tempo: comecei em julho de 2018 e terminei em fevereiro de 2019. Uma gravidez de sete meses.

No total mesmo, descontando as partes desmanchadas, deu mais de 40 horas (deixei o cronômetro ativado, mas chegou um momento em que apenas abandonei). Acredito que umas 55 horas. Claro, houve outros projetos no meio porque ficou cansativo fazer a mesma receitinha de boa, fácil e rápida de fazer. Eu fazia, fazia e fazia (e desmanchava inúmeras vezes), mas o trem não rendia.


Nesta altura eu ainda não era devota de Santo Expedito.

Aliás, tive que desmanchar uma parte considerável dos ombros da frente e de trás porque o côco não passava 😐


Fio fino, agulha 1,5 mm. Isto diz alguma coisa pra você? Apenas suor e lágrimas HAHAHA!!!! Afinal: quem é que tem 50 horas e paciência para algo tão miúdo depois de trabalhar o dia todo no computador? Eu não sou essa pessoa.

Mas deu certo. Dando errado, mas deu certo 😂😂😂


Os louros

E ela ficou assim:

Eu que fiz
Missão cumprida!!!! No fim tudo se ajustou!
A combinação por baixo aparecendo faz parte do look :)

Na verdade, achei que ela deu BEM certo. Ficou exatamente como a receita original.. Apesar dos erros da receita, deu pra reproduzir o ponto fantasia corretamente e mandar bala. Até a tensão acredito que ficou próxima da correta (também, né?!). A surpresa é que aprendi pra caramba com ela. Aí fiquei toda orgulhosa, tipo: "FUI EU QUE FIZ!"

Mas ok, vamos ao que deu errado:

Tamanho: Aumentar o tamanho em peças "quadradas" e largas de crochê é algo até tranquilo. Agora quero ver fazer isso mantendo a silhueta de 1930 (huehuehue!). Digo isso porque estes modelos tem cintura e cava exatamente como se fossem uma blusa modelada e com pences. Aí é preciso fazer aumentos e diminuições que batam com o ponto fantasia sem sair do esquema.

Outra coisa: o meu torso é muito maior que o das mulheres daquela época. Ela foi desenhada para uma moça adulta de 1934, mais baixa e mais magra. Como sou alta, tive que adaptar aumentando torso, cintura e ombros, mas tentando manter a proporção original (mesmo vestindo um manequim M padrãozão). Ela é mais curta que as nossas blusas atuais propositalmente (para bater com as cinturas altas das saias da época), mas adequada ao meu corpo.

Receita: a minha veio com erros na descrição e o problema da crocheteira é não querer fazer amostra. Percebi nas primeiras linhas e logo deu certo, mas podia ter dado bem errado. Se eu tivesse amostra, também não teria errado a proporção e desmanchado tantas vezes. Espero ter aprendido a lição Duvido.

Evento de moda vintage
Aqui levando ela pra passear. Se a saia fosse de um tecido mais pesado e mais longa, seria o look 1930 perfeito

O que você precisa para fazer a sua?

1) Aprender crochê:
na universidade do Youtube há inúmeros vídeos que podem te ensinar os pontos básicos, que não são difíceis. Na verdade, o crochê é feito da combinação desses pontos, combinados em pontos fantasia/padrões. Nunca vi um canal que ensine uma blusa inteira, devido ao tempo e tamanho da peça, então será necessário dar seus pulos (rsrs)

2) Sabendo o crochê:
é só procurar nas internetes os canais que disponibilizam receitas gratuitas ou receitas pagas no Etsy (são baratinhas).

3) Reproduzir uma blusa de acordo com a receita original ou não?
Aí é contigo, rapaziada! Eu gosto de me sentir "original", com um figurino que seja quase que uma foto da peça antiga, porque meu lance é moda histórica de fato (!). Mas assim, se você quiser usar fio sintético, fazer com agulha de bambu de 20 mm, usar fio mesclado, sei lá...faz!!!! O importante é fazer e aprender algo com isso :)

4) Ter paciência:
Pois é.

5) Faria outra?
Já estou fazendo!!
...
Depois de toda esta via crucis, você tem coragem de fazer uma dessas ou passa a vez? :D Dá o seu pitaco aqui embaixo nos comentários ↓😉

You May Also Like

4 comentários

  1. Ficou show a blusa! Parabéns!
    Encarar e fazer a minha???
    Quem sabe um dia!
    Mas eu também não gosto de fazer amostra e também sofro as consequências dessa trimosia....kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça, Cilene!!! Demora um século, mas quando fica pronta, é shopping, é padaria, é hospital, é jantar de aniversário de casamento....rsrsrsr

      Excluir

Instagram

- Todos os direitos reservados a Katiúcia de Sousa Silva - Por favor, não copiar o conteúdo desta página sem mencionar a autoria.