Como conheci a moda vintage?

by - abril 23, 2019

Como conheci a moda vintage?

Olá! ♥

Provavelmente você é nova por aqui! Eu também! Eu estava com muitas ideias e resolvi escrever este blog ...:)...sobre moda histórica! Ou moda vintage..


Sempre curti coisas “velhas”. Entre 2009 e 2012, restaurei um antigo Fusca da década de 1970. E sempre colecionei coisas também, de moedas a pedras (sim!). Gosto de ter determinados objetos para observar e organizar meu pensamento.

Também sempre curti filmes e séries de época. Porém minha mente deu aquela explodida quando assisti “Mad Men”, lá pelos idos de 2014. Por ser uma série que não tem tantos diálogos, dá tempo de observar bem os cenários e figurinos. E por se passar em uma transição de décadas (dos 1960 ao 1970), dá pra ver a mudança das “coisas” ao longo do tempo. Logo em seguida engatei Downton Abbey e aí foi declarada a 3ª Guerra Mundial! Hahaha quem precisa de Game of Thrones?


Mad Men
Mad Men: aqui começou a 3ª Guerra Mundial. AMC
Na mesma época pipocaram no Instagram várias contas de moças vestidas ali pelos anos 1930/1940/1950: clássicas, inocentes ou glamourosas, não eram mais fotos em preto e branco, mas figuras reais e em cores (!). E não eram atrizes!

Notei que aquelas roupas tão diferentes também eram reais, ou melhor, autênticas sobreviventes do século XX: passaram pela 1a Guerra, pela 2a Guerra, pelos Hippies e suas customizações (que persistem até hoje rsrs) e chegaram ao novo milênio. E esse lance todo se chamava “moda vintage”.

Porém notei que essas peças eram escassas: “não tinha na loja” e nem nos bazares que visitava. E percebi que, por isso ou por gosto pessoal, algumas meninas começaram a reproduzir suas próprias roupas de acordo com moldes, figurinos e receitas de época. Começaram a fazer essas peças sozinhas, assim como a moda era feita no passado, seguindo técnicas de costura ou outras hoje bem esquecidas, como alguns tipos de bordado. Roupas em linho, cambraia ou tricô, com mangas bufantes, pespontos e soutaches, cores brilhantes e acessórios....chapéus, luvas e lenços....tudo tão diferente do que se usa hoje! 💘💘

Molde de costura dos anos 1930
Mais ou menos isso 💗  Vintage Sewing Patterns

E aquilo era Moda Histórica! Era História da Moda! Era cultura! E roupa é cultura!

Imediatamente me reconheci nisto. Eu, já bem insatisfeita com o que estava vestindo, comecei a buscar e colecionar o que pude: primeiro camisolas, depois revistas de moda dos anos 1940 a 1950, depois acessórios e fotografias, depois livros de costura e aviamentos vintage. Abri um perfil no Instagram sobre fotos antigas de mulheres brasileiras, depois o perfil @carmencharmosa e comecei a falar sobre isso.

Tive muitas dificuldades para achar roupas: o tamanho não servia no meu corpo, não tinha variedade, (muitas) manchas que não saíam.....e onde estavam de fato aquelas roupas dos filmes e revistas??? Essas eu não encontrei....

....até o momento em que comecei a fazer as minhas próprias roupas...

Assim começou a minha saga de busca, pesquisa, aprendizado e dedicação diária a uma paixão <3 até participei de alguns encontros temáticos, usando peças do meu guarda-roupa, sempre ali nos anos 1930-1940 (ainda estou longe de ter o guarda-roupa dos sonhos, mas eu chego lá!).


Encontro temático de moda vintage
Eu em um encontro temático, com "traje completo" 😅😅 Março de 2018
Então, como em toda paixão...eu queria MUITO conversar sobre este assunto com alguém, encontrar pessoas, tomar um café, mas não há muita opção/vontade por estas bandas....Então resolvi abrir este blog, para unir tudo isso à delícia de escrever e contar minhas aventuras na busca e construção de roupas de época. Senti a necessidade de falar, de contar umas histórias de moda para alguém. Vai que alguém lê 😇😇

Lá no Instagram eu costumava fazer alguns stories bem visuais sobre o assunto, mas acho uma rede complicada de se engajar com conteúdo “de verdade”, devido à própria natureza daquela mídia. Lá tem mais um lance de apreciação da estética (legal), mas sem muito desejo de informação (chato..). Portanto, fica meio difícil contar histórias longas....24 horas de um storie é muito pouco tempo pra uma história viver!

Então abro este blog para compartilhar o conteúdo que armazenei aqui até agora e as delicias de todo o progresso de “descobrir algo”  e “construir algo” 💗 e também para arquivar meus resultados por aqui (proteger a propriedade intelectuase tornou importante e eventualmente eu esqueço o que pesquisei rsrsrsr). É um prazer pra mim buscar nos livros, nas teses, nos jornais onde ficava, sei lá, os traços de um ateliê de uma modista que viveu na década de 1930. 

E eu quero compartilhar isso com vocês, mostrando o caminho em que a Moda se conecta com a História ♥

You May Also Like

9 comentários

  1. Amei! Por favor não pare rsrs... Adorei saber tudo! O tempo histórico é complicado, mas amo a moda dessa época, tão elegante! Alguns anos atrás eu desenhava e minha sogra costumava uns modelos vintage rsrs Um super beijo. Sharon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sharon, só agora descobri como responder rsrsrs a moda dessa época é apaixonante!!! E o mais legal que as mulheres com só um pouquinho de mais estrada que a gente tem um monte de referências pra compartilhar! Obrigada por ter chegado até aqui e seja bem-vinda!!!

      Excluir
  2. Muito obrigada ❤️ Vou acompanhar Tudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rebekah, eu que agradeço pela sua visita!!! Um beijo!

      Excluir
  3. Gosteeeei! Espero que continue, vai ser muito interessante te acompanhar por aqui, tenho certeza que vc tem muita coisa bacana prá compartilhar! Boa sorte nessa sua nova jornada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Débora, muito obrigada pelo incentivo! Espero que você esteja gostando dos textos! um beijo :*

      Excluir
  4. Kati, minha deusa vintage, seja bem-vinda à blogosfera e que seu blog seja um sucesso - porque você já é!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Pauline! Estou gostando e pensando o porquê não comecei isso antes!

      Excluir

Instagram

- Todos os direitos reservados a Katiúcia de Sousa Silva - Por favor, não copiar o conteúdo desta página sem mencionar a autoria.